Terra boa sô! Sul de Minas Gerais, circuito das águas

A gente valoriza amigo que viaja e escreve pro blog! O Filipe e a Gabriela aproveitaram as férias para visitar o Sul de Minas Gerais. Andaram de charrete, trem, carro, a cavalo e até de pedalinho! Aproveitaram as propriedades medicinais e relaxantes das águas… e provaram todas as delícias mineiras! Ah vou deixar ele contar…

“Oh Minas Gerais, oh Minas Gerais. Quem te conhece não esquece jamais, oh Minas Gerais…” Poderia ser apenas um hino saudosista e bairrista, mas não é. Quem conhece os encantos de Minas Gerais não esquece de verdade. E quem se aventurar pelas encantadoras cidadezinhas do Sul de Minas, aí que não esquece mesmo.

minas gerais

Ao passar pelas BRs que cortam os pequenos municípios já se percebe algo que não é comum em nenhum outro estado do Brasil. A cada pequeno trecho de chão, parece brotar do nada vendinhas que comercializam um dos produtos mais tradicionais de Minas, o queijo mineiro. Muçarela (sim, é assim mesmo) , provolone, parmesão… Um melhor que o outro que fica até difícil escolher. Sou fã do queijo nozinho. Custa só dois reais e é “bão dimais da conta”. Recomendo!

Seguindo viagem outra característica comum: a grande quantidade de serras, vales e montanhas por todos os lados, contrastando com o céu azul. Cuidado para não esquecer do volante enquanto se distrai com a natureza. É perigoso!

O Sul de Minas é conhecido em todo Brasil pelas águas minerais medicinais. As águas gasosas atraem turistas de diferentes estados. As inúmeras fontes prometem tratamento eficiente para varias doenças: de anemia a doenças na pele. Passando por cálculo renal, problemas digestivos e o estresse adquirido pela doideira das grandes cidades.circuito das águas

As fontes estão presentes em diferentes parques. Os mais conhecidos estão em São Lourenço, Caxambú, Lambari e Cambuquira. As entradas variam entre dois e seis reais. A água quase “milagrosa” pode até ser o principal atrativo dos parques, mas também tem muito “trem” bom por lá. A vegetação é linda. O clima de inverno faz com que o lugar lembre parques europeus, só que com aquele sotaque mineirês. Quase todos tem um lago artificial com dezenas de patos. E nada mais romântico que passear a dois de pedalinho. Sim! Até os patinhos vão perdoar o excesso de beijos apaixonados. O passeio custa R$15 e dura meia hora.patos lago

Em Lambari os ponteiros do relógio parecem não se mexer. A cidade pacata é a cara da tranquilidade. Quem está acostumado com a loucura dos grandes municípios leva um susto quando anda pelas ruas de paralelepípedo. O trânsito é tão tranquilo que o município se dá ao luxo de ter apenas um semáforo. Sendo assim, indico um agradável passeio de cavalo (R$20).cavalo minas Ainda em Lambari, por apenas cinco reais, o turista tem a oportunidade de conhecer o Parque Estadual Nova Baden. Com rica fauna e flora, o lugar mantém parte da Mata Atlântica. Quem der sorte poderá ver bem de perto diferentes espécies de primatas, esquilos e tucanos. Até uma jaguatirica dá o ar da graça de vez em quando. As três trilhas levam a um passeio agradável com direito a muitas cachoeiras.

Para se hospedar na cidade, recomendo a Pousada do Duque. Um lugarzinho aconchegante com uma comida muito boa. O atendimento e a acolhida surpreendem. A diária não passa de R$180 (julho/2014).

Trafegando cerca de 60km se chega a São Lourenço. A cidade  já é bem maior e mais agitada que os outros municípios do Circuito das Águas. O Parque é grande e com bem mais fontes de águas medicinais. O comércio conta com dezenas de lojas, sendo a maioria delas voltada ao artesanato e delícias mineiras. Em São Lourenço as opções de bares e restaurantes também são maiores. Há comida para todos os gostos. Do simples ao requintado.comida mineira

Duas opções que os turistas não podem deixar de aproveitar quando estiverem na cidade: Um passeio gostoso de charrete pelas ruas de paralelepípedo (R$20) e uma pequena viagem de duas horas de Maria Fumaça entre São Lourenço e Soledade de Minas (R$45).maria fumaça soledad

Se a tranquilidade da região ajuda a revigorar o corpo e a cabeça, para quem é católico, também dá pra voltar com a espiritualidade revigorada. Se as águas minerais são consideradas milagrosas, em Baependi também há quem faça milagres. Lá é a cidade onde viveu e morreu Inhá Chica, beatificada pelo Papa Francisco em maio de 2013. Conhecer a história e igreja dedicada a “santinha de Baependí” é um programa indispensável.santinha de Baependí

Se existe algo de ruim em conhecer as cidadezinhas do Sul de Minas é perceber, através das placas, que a divisa do estado de Minas Gerais ficou para trás.

 

 

Filipe Chicarino

—-

Eu fiquei curiosa com uma coisa: o Filipe Chicarino é jornalista, aproveitou a viagem e escreveu tudinho. E a Gabriela Rebello, que é nutricionista? Como será que encarou essa comilança toda? 😉

 

7 comentários sobre “Terra boa sô! Sul de Minas Gerais, circuito das águas

  1. Eu,como bom paulistano nascido no Bixiga adorei conhecer o Sul de Minas Gerais,por onde viajei durante 14 anos foram inúmeras viagens a diversos lugares por onde passei o mais marcante foi um hotel fazenda que fiquei hospedado em São Sebastião do Paraíso(Paraíso para os íntimos)e,olha que de viagens eu entendo pois sou Turismólogo de formação mais ai já é outra história… Abcos a todos

    Curtir

Oba! Comentários são uma alegria!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s