O frade e a freira: Uma história de amor impossível no Sul do ES

O nome dos dois apaixonados eu não sei. Mas conheço a história desde que era pequena e agora vou contar pra vocês.

Diz a lenda que eles se conheceram trabalhando juntos, na tentativa de catequizar os índios, centenas de anos atrás. Um frade e uma freira. O amor, proibido pela igreja e pela crença de cada um deles, se tornou a cada dia mais forte e cada vez mais impossível.  Eles resistiram, tentaram sufocar o sentimento, e por tanto sacrifício foram recompensados por Deus. A paixão foi transformada em pedra, eternizada, e agora é admirada por todos os que passam pela região Sul do Espírito Santo.

Eu gosto de histórias de amor, mas dessa eu não gosto. Não considero um final feliz uma paixão não realizada, em que um é obrigado a passar a eternidade olhando para o outro, pensando no que poderia ter feito se ambos não tivessem se transformado em pedra.

Bom, quem sou eu pra ficar contestando lenda! Então vamos para a parte moderna dessa história.  O Frade e a Freira é uma belíssima formação rochosa, que fica entre os municípios de Cachoeiro de Itapemirim e Rio Novo do Sul. Quem passa pela Br 101 consegue observar bem; parece realmente um frade, em pé, e uma freira, ajoelhada com seu manto.

Se estiver de passagem pelo estado, você pode parar, tirar uma foto à distância mesmo, e seguir viagem, ajudando a divulgar uma de nossas belezas naturais. Mas eu tenho uma dica: sabia que é possível escalar os 683 metros do Frade e a Freira?

Fiz uma caminhada dia desses com um grupo que estava disposto a encarar o desafio. Saimos de Vitória bem cedinho e fizemos em algumas vans os 103 km até Rio Novo do Sul. Deixamos os carros no centro do município e seguimos a pé pela estradinha .

São 14 km e o caminho é bem agradável, com alguns trechos mais complicados de subida, mas nada que seja impossível. Protetor solar, boné e muita água são indispensáveis, viu? É gostoso ver como a pedra vai se aproximando e como fica diferente dependendo do ângulo que você olha.

     

Gostoso também encontrar surpresas pelo caminho.

         

Olha essa conferência animal!  Lembrei na hora de um livro : A revolução dos Bichos, de George Orwel. “Qualquer coisa que ande sobre duas patas   é inimigo. O que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo”.

Super recomendo a leitura do livro e recomendo sair de perto quando os animais se mobilizam, eheheh.

Voltando ao Frade e a a Freira… Para quem optou por não escalar a formação rochosa (eu, entre eles), a caminhada terminou num lugar que eu achei legal, o Chalé do Frade. É uma pousadinha bem no pé do morro, com poucos chalés, uma piscininha de água fria mesmo, comida caseira gostosa e uma vista incrível.  Na minha opinião, é o típico lugar simples mas aconchegante.

A maioria das pessoas chega de carro ao chalé no dia anterior, descansa (me contaram que o céu é belíssimo, dá pra ver todas as estrelas) e parte para a escalada no início da manhã. Existem equipes de montanhistas experientes para acompanhar os aventureiros (e também quem quiser organizar um grupo para caminhada, como fizemos).

 

O grupo que fez a escalada enfrentou uma tempestade no meio do caminho! Nós, que estávamos embaixo esperando, ficamos bem receosos. Eles? Voltaram ainda mais empolgados da aventura!

Uma observação: Historicamente falando, é comprovado que antigamente, há uns quatrocentos anos, os frades fizeram esse trabalho de catequização na região sul. O problema é que nessa época ainda não havia freiras no Espírito Santo, por isso algumas pessoas (poucas) fazem questão de chamar a pedra de “O Frade e a Índia”.

 Eu, que não sou boba nem sou freira, fiz questão de chegar bem pertinho pra registrar o passeio. Nada dessa história de ficar olhando sem encostar, né?

Muito obrigada por passearem comigo. Até a próxima!

Outras informações: Chalé do Frade e Andarilhos.org

23 comentários sobre “O frade e a freira: Uma história de amor impossível no Sul do ES

  1. Olá, sou capixa do Sul do ES, resido fora do Estado. Gostei das suas descrições e das fotos postadas da Pedra “O Frade e A Freira”. Gostaria de sugerir que vocês acrescentem às fotos a poesia parnasiana “O Frade e A Freira”, pesquisei e constatei haver na internet. Obrigada. Penha Emerick.

    Curtir

    • O Frade e a Freira

      (Benjamim Silva – Espírito Santo – 1897-1954)

      Na atitude piedosa de quem reza
      E como que num hábito embuçado,
      Pôs naquele recanto a natureza
      A figura de um frade recurvado.

      E sob um negro manto de tristeza
      Vê-se uma freira tímida a seu lado,
      Que vive ali rezando, com certeza,
      Uma oração de amor e de pecado…

      Diz a lenda – uma lenda que espalharam –
      Que aqui, dentre os antigos habitantes,
      Houve um frade e uma freira que se amaram…

      Mas que Deus os perdoou lá do infinito,
      E eternizou o amor dos dois amantes
      Nessas duas montanhas de granito!

      (Benjamim Silva – Espírito Santo – 1897-1954)

      Curtir

Oba! Comentários são uma alegria!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s